Recados para Orkut
Jesus, Eu Confio em Vós!
O silêncio é a linguagem de Deus, que embora oculta, é vigorosa e viva. Santa Faustina (Diário 888)

Digite aqui o seu Email e receba as boas novas do nosso blog

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Vaticano: «Ignorar o pobre é desprezar Deus», alerta o Papa

(Lusa)

(Lusa)

Francisco liga misericórdia divina à misericórdia para com «os pobres da terra»

Cidade do Vaticano, 18 mai 2016 (Ecclesia) - O Papa alertou hoje no Vaticano para a necessidade de ajudar os “pobres da terra”, afirmando que “ignorar o pobre é desprezar Deus”.
“Ignorar o pobre é desprezar Deus, temos de aprender bem isto, ignorar o pobre é desprezar Deus”, insistiu, durante a audiência pública que decorreu esta manhã na Praça de São Pedro, perante milhares de peregrinos.
Dando continuidade ao ciclo de catequeses sobre a misericórdia, Francisco lamentou que “tanta gente finja não ver os pobres”
“Para eles, os pobres não existem”, observou.
A intervenção ligou a misericórdia de Deus à misericórdia de cada pessoa para com o seu “próximo”.
“Quando esta falta, também a misericórdia de Deus não encontra espaço no nosso coração fechado, não pode entrar. Se eu não abrir a porta do meu coração ao pobre, essa porta permanece fechada, mesmo para Deus, e isto é terrível”, declarou.
O Papa partiu de uma passagem do Evangelho de São Lucas, na qual Jesus apresenta a parábola do homem rico e do pobre Lázaro, ao qual o rico não prestou atenção.
“Nenhum mensageiro e nenhuma mensagem poderão substituir os pobres que encontramos no caminho, porque neles se encontra o próprio Jesus”, assinalou.
Segundo Francisco, a figura de Lázaro - que ao contrário do homem rico é tratado pelo seu nome próprio - “representa bem o grito silencioso dos pobres de todos os tempos e a contradição de um mundo cujas imensas riquezas e recursos estão nas mãos de poucos”.
O homem abastado retratado na parábola de Jesus, explicou o Papa, viveu “fechado” no seu mundo de luxo, sem ter em conta a lei de Deus ou o sofrimento dos próximos.
“Será condenado, portanto, não pelas suas riquezas, mas porque foi incapaz de sentir compaixão por Lázaro e de o socorrer”, precisou.
No final do encontro, o Papa saudou os peregrinos e visitantes de língua portuguesa, em particular as Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição e um grupo da Póvoa de Varzim
“Desejo que a peregrinação ao túmulo dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo fortaleça, nos vossos corações, o sentir e o viver em Igreja, sob o terno olhar da Virgem Mãe. Aprendamos com Ela a ler os sinais de Deus na história, para ser construtores duma humanidade nova. Deus vos abençoe, a vós e aos vossos familiares”, disse.

Sem comentários:

Enviar um comentário

ARQUIVO DE MENSAGENS PUBLICADAS