Recados para Orkut
Jesus, Eu Confio em Vós!
Recebi interiormente a compreensão do que são as criaturas perante Deus. Imensa e incocebível é a Sua Majestade. E se condescende connosco com bondade é pelo abismo da Sua Misericórdia. Santa Faustina (Diário 1131)

Digite aqui o seu Email e receba as boas novas do nosso blog

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Vaticano: Francisco defende que «uma fé que não dá fruto nas obras não é fé»

Papa diz que conhecimento da doutrina cristã exige «reflexos concretos» na vida diária

news.va
Cidade do Vaticano, 21 fev 2014 (Ecclesia) - O Papa Francisco disse na homilia da missa desta manhã na Casa Santa Marta, no Vaticano, que “a fé que não dá fruto nas obras não é fé”.
Francisco afirmou que “o mundo está repleto de cristãos que recitam as palavras do Credo, mas não as colocam em prática ou de eruditos que catalogam a teologia numa série de possibilidades, sem que esta sabedoria tenha depois reflexos concretos na vida”.
Comentando um excerto da carta de S. Tiago, Francisco lembra que o apóstolo “quando fala de fé, fala justamente da doutrina, daquilo que é o conteúdo da fé”.
“A fé é um encontro com Jesus Cristo, com Deus, e dali nasce e leva ao testemunho, é isso que o Apóstolo S. Tiago quer dizer: uma fé sem obras, que não envolva, que não leve ao testemunho, não é fé. São palavras e nada mais que palavras”, acrescentou.
Francisco lembrou que “é possível conhecer todos os mandamentos, todas as profecias, todas as verdades de fé, mas se isso não é colocado em prática, não acaba em obras, não serve”.
“Ouvimos pessoas que dizem: ‘Mas eu tenho tanta fé’, ‘eu acredito em tudo …’. E talvez esta pessoa que diz isso tenha uma vida morna, frágil. A sua fé é como uma teoria, mas não está viva na sua vida”, precisou.
Segundo o Papa, no Evangelho encontram-se dois sinais reveladores de quem “sabe no que deve acreditar, mas não tem fé”, sendo o primeiro sinal a “casuística”, representado por aqueles que “perguntavam a Jesus se era lícito pagar as taxas ou qual dos sete irmãos do marido se deveria casar com a mulher que ficou viúva”.
O segundo sinal é a “ideologia”, ligado “aos cristãos que pensam a fé como um sistema de ideias, ideológico: existiam também no tempo de Jesus”, disse Francisco.
O Papa dedicou a celebração da missa desta manhã pelos 90 anos do cardeal Silvano Piovanelli, arcebispo emérito de Florença, agradecendo-lhe “pelo seu trabalho, pelo seu testemunho e pela sua bondade”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

ARQUIVO DE MENSAGENS PUBLICADAS